h1

Os novos desafios trazidos à agenda internacional e a sua relação com os processos de integração regional

outubro 28, 2009

É verdade que o número de acordos econômicos regionais apresentou expressivo aumento na década de 1990. Nesse contexto, o ‘Novo Regionalismo’ se fundamenta em mudanças para um ‘regionalismo aberto’, que significa privilegiar os demais países membros do bloco de que se participa, mas não ser protecionista em relação a terceiros.

Em contrapartida, alguns desafios de gerenciamento político imposto pelas rápidas transformações econômicas são, por exemplo, as questões ambientais, de desenvolvimento equitativo, segurança humana, e educação.

Esses novos desafios trazidos à agenda internacional estão relacionados aos processos de integração regional do fim do século XX e início do XXI, pois é dentro deles que muitas decisões são tomadas, metas são estabelecidas, pautas fixadas.

Tomemos como exemplo a discussão ambiental. Enquanto o pensamento econômico clássico estaria focado naturalmente em aumento de lucros, muitos debates são realizados em torno da preservação dos recursos naturais não renováveis e a destruição do planeta Terra. Assim, questões como responsabilidade sócio-corporativa e selos que asseguram a determinados produtos o comprometimento de seus fabricantes com a proteção ambiental tornam-se novos desafios para o sucesso de empreendimentos de todo o globo.

A especulação financeira e o consumismo desenfreado também são discutidos dentro e fora dos blocos regionais. A gestão de fluxos de refugiados é tema tratado não mais unilateralmente – é latente o caso da União Europeia, em que o indivíduo que entra por qualquer um dos países membros, não está limitado pela fronteira nacional, mas sim pela fronteira regional que o bloco representa.

Temas como nacionalismo exacerbado e tensão regional precisam ter solução encontrada com brevidade, pois instabilidades regionais comprometem de modo inequívoco o bom funcionamento de blocos regionais. Assim, mesmo a ajuda humanitária e a reconstrução física e institucional dos países atingidos por catástrofes naturais recebem nova perspectiva sobre o olhar de um mundo em que blocos regionais são um dos principais atores no sistema internacional.

xxx

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: